O que fazer com o seu currículo

Mais uma vez aquele blábláblá: entra ano e sai ano e você estuda para tirar uma nota dentro igual ou maior do que a média permitida para passar para o próximo período na escola, colégio ou faculdade, afinal você precisa provar que merece um espaço no mercado de trabalho num emprego fixo, de carteira assinada, numa boa empresa, com os devidos direitos de cidadão trabalhador.

O que você provavelmente aprendeu (assim como eu)

A coisa mais comum é fazer o que todo mundo faz: procurar as vagas disponíveis nos Classificados de domingos, mandar currículo, esperar ser chamado, esperar a entrevista, participar das dinâmicas de grupo, fazer provas, esperar ser chamado, esperar ser convocado, esperar ser contratado e até hoje, nada! Esse é o ciclo que muitos aprenderam e continuam repetindo…não sei como não ficam tontos.

Pessoas assim aprenderam que precisam ter um local fixo que tenha “cara de empresa”, com salas, poltronas, divisórias, mesas e computadores e chefes para lhe ordenar o que devem fazer. No entanto, conforme eu falei no artigo “Você ainda vai ao trabalho?”, já existem empresas que têm empregados que trabalham a partir de sua própria residência, porém esse é um novo paradigma que aos poucos vem se instalando na nossa realidade. Sendo assim, por que esperar uma empresa chama-lo para trabalhar se hoje você dispõe de internet e pode resolver muitos problemas – inclusive de comunicação – através dela?

A forma que ninguém vai lhe dizer

Se antes os currículos eram enviados numa folha de papel, hoje você pode fazer o mesmo através do meio eletrônico, no entanto, mais do que mandá-los para empresas, você pode mostrar seus resultados para pessoas comuns, aliás, – conforme eu sempre falo – as empresas nada mais são do que formadas por pessoas comuns. Registre seus trabalhos, fotografe-os, filme-os, publique-os nas redes sociais, armazene-os no seu celular (que hoje é uma extensão do seu próprio computador! Peça depoimento (em texto, vídeo e/ou áudio ) das pessoas que conhecem o seu trabalho – são elas que vão ser a prova de que você é capaz de fazer e entregar aquilo que se propõe, e não uma lâmina de papel que diz que você está “apto para contribuir e atuar nos interesses desta renomada empresa”.

Não fale de você, mostre resultados

Não desperdice o tempo de quem precisa de você dizendo o quão competente você é ou sobre a facilidade que você tem de aprender ou o quanto você adora trabalhar em equipe. Em outras palavras, Não invista em adjetivos, mostre resultados, não necessariamente para conquistar o tão sonhado emprego que daqui a um tempo mal vai pagar as suas contas (sim, você vai querer aumentar o seu padrão de vida), mas para ajudar cada vez mais as pessoas nos problemas delas, ou pelo menos em parte deles e claro, ser recompensado por isso, pois na verdade, é assim que o mercado de trabalho funciona: Pessoas ajudam Pessoas!

Um emprego não, vários clientes

Não jogue fora seu currículo,anuncio ed b faça dele um resumo daquilo que você é muito bom em fazer e ofereça para empresas, não necessariamente para ser empregado, mas acima de tudo, para ser um parceiro de negócio, um assessor, um consultor ou outra palavra que o valha, pois caso você não saiba, (man)ter um empregado em muitos casos, pode custar muito caro para uma empresa. Assim sendo, você pode ter a liberdade de trabalhar, não apenas para uma empresa, mas para vários clientes, que aliás, conforme eu não canso de falar, nada mais são do que pessoas comuns que têm desejos, medos, vontades, frustrações e dificuldades!

Dentre as várias coisas boas que você vai perceber, vai ser a liberdade de não precisar ficar “pregado” sob o mesmo ambiente todo santo dia, em outras palavras você estará despregado… desempregado… desimpedido ou , se assim preferir, você será um empreendedor…um empresário. Resumindo, você será Enfim, Desempregado!

Capice?
Faça, que acontece!

As dicas mais acessadas