Não aja como seus pais

Este artigo eu fiz baseado na música “Como nossos pais”, muito conhecida na voz da nossa saudosa Elis Regina e no curso gratuito do Enfim, Desempregado você confere muito mais!

Não quero lhe falar, meu grande amor, das coisas que aprendi nos livros. Estudar, tirar boas notas, arrumar um emprego numa empresa com um salário fixo, carteira assinada e aposentadoria através do Governo – isso é coisa do passado.

Por isso cuidado, meu bem, há perigo na esquina. Existe gente que vai tentar convencê-lo de que essa é a única forma de se trabalhar e lucrar num mercado que está cada vez mais fechado para nós, que somos jovens. Para ter seu ganha-pão basta que se faça o uso do seu braço, do seu lábio, da sua voz e da sua inteligência.

Você me pergunta pela minha paixão, digo que estou encantado com uma nova invenção. Eu vou ficar nesta cidade, não vou ceder espaço para lamentação, pois vejo vir o cheiro de nova estação. Eu sinto em tudo uma oportunidade viva no meu coração.

Já faz tempo, eu vi você na rua, cabelo ao vento, gente jovem sem trabalho. Na parede da memória, essa lembrança é o quadro que dói mais.

Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos, ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais.

Nossos ídolos não são bem os mesmos e as aparências não enganam. Você diz que depois dos seus não apareceu mais ninguém. Você pode até dizer que eu tô por fora ou então que eu tô inventando, mas é você que ama o passado e que não vê. É você que ama o passado e que não vê que o novo sempre vem.

Hoje eu sei que quem me deu a ideia de uma nova consciência e juventude tá em casa guardado em prateleiras, em formato de livros, CDs, DVDs e mais cursos que me falaram sobre empreendedorismo e me fizeram parar de culpar o governo pela falta de emprego, para assim, começar a trabalhar no que sei e gosto de fazer, sem necessariamente depender de um único patrão.

É difícil e árduo o processo de se libertar dessa mentalidade que tanto aprisiona pessoas talentosíssimas, mas que se prostram frustradas num Classificados de domingo que não oferece a tão sonhada vaga de emprego com as devidas garantias trabalhistas e o tão sonhado salário fixo, advindo de uma jornada específica e obrigatória de horas trabalhadas. No entanto, a você que é meu leitor e está desempregado, venho alegremente dizer que existe um outro caminho que pode ser percorrido: o empreendedorismo! Nossos pais aprenderam a ser mão-de-obra de empresas, nós podemos ser seres humanos que servem outros seres humanos; eles aprenderam a ter um salário através de emprego, nós podemos ter diferentes rendimentos através de vários clientes; eles obedecem às regras, nós podemos quebrá-las e reinventá-las; no emprego eles têm um teto, no nosso trabalho nós podemos ter o céu.

Meu prazer é perceber que apesar de termos feito tudo, tudo, tudo o que fizemos, nós ainda podemos ser diferentes e viver. Nós podemos ser diferentes e viver. Nós já somos diferentes e podemos viver, mas não como nossos pais. Leia mais sobre isso no artigo Pessoas Ajudam Pessoas.

Saiba mais no e-Book “Enfim, Desempregado: como trabalhar e enriquecer sem depender de um emprego” clicando aqui!        

 

As dicas mais acessadas