Como ganhar dinheiro sendo desempregado

Tem certeza de que falta oportunidade?

Não, eu venho propor que para ganhar dinheiro sendo desempregado você deva recorrer a áreas completamente diferentes ou, digamos assim, “inferiores” em relação àquela que você tem (ou tinha) no seu emprego. Da mesma forma, não tenho a menor pretensão de bancar o guru que tem as panaceias para o mercado de trabalho, mas se você se enquadra na estatística daqueles que vivem reclamando do patrão, do governo, do gato e do papagaio por causa da “falta de oportunidade”, saiba que o meu propósito maior é fazer você tirar a viseira que colocaram em você quando era mais jovem e por isso só consegue olhar para frente – em busca de emprego – e não consegue enxergar a coisa que está bem ao seu lado. O nome dessa “coisa”, que eu não me canso de falar é “pessoas”!

E a crise?

A crise é com eles, não com você! Essa é a melhor forma de você pensar e assumir o seu lado egoísta e começar a assumir as rédeas daquilo que quer para si e para as pessoas que você quer bem, conforme eu já falei no artigo “Emprego, trabalho e política”. Enquanto você ficar de chororô e mimimi, se fazendo de vítima ou bancando aqueles que agora se mostram cada vez mais especializados em apregoar uma política apocalíptica, a coisa definitivamente vai ficar emperrada na inércia e isso só tende a contaminá-lo, principalmente se você é do tipo que é partidarista de uma bandeira política ou que adora acompanhar as “novidades” nada boas trazidas pela imprensa (pois é, é notícia ruim que é a boa – pois é ela que vende!)

Pense fora da caixa da CLT!

Sendo assim, com o objetivo de ajuda-lo a pensar fora da caixinha que boa parte da população está presa – a do empregativismo – eu venho apresentar algumas coisas a serem consideradas para o bem da sua carreira e claro, daqueles que torcem por você. Você sabia que para contratar um funcionário no sistema CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) – o tão desejado por boa parte das pessoas – o empresário tem que calcular pelo menos o dobro para poder honrar as suas obrigações trabalhistas (férias, FGTS, aviso prévio, INSS, 13º salário, etc)?. Sendo assim, procure enxergar pelo seguinte prisma: não é que as empresas não queiram contratar você, é que você custa caro, principalmente se você for altamente capacitado no que faz! E é justamente aí que entra o pulo do gato: com base na ideia de que pessoas ajudam pessoas, eu sugiro que, se você foi desligado da empresa onde trabalhava,  que você comece a possibilidade de trabalhar como um prestador de serviço, não apenas para a que demitiu você, mas também para a(s) concorrente(s) se for o caso. Dessa forma, você não onera o seu chefe (que agora vai passar a ser cliente) com todos aqueles tributos e todos saem ganhando. Vale lembrar que você pode emitir Nota Fiscal de pessoa física e assim fazer a sua devida contribuição fiscal com a sua cidade.

anuncio ed a

Você se torna o que pratica!

Faça um check list básico de tudo que fazia e comece a ajudar outras pessoas (inclusive empresários) na mesma atividade. Só se atente para a ideia de que você se torna o que pratica e pode ser que você não consiga enxergar a oportunidade de se “despregar” daquilo que fazia. Se isso acontecer, você tem um plano B: ganhar dinheiro com o seu hobby preferido (leia o artigo Ganhar dinheiro ou fazer o que gosta, o que é melhor?”) – isso aliás, é uma das coisas que eu faço, conforme você deve ter visto no meu curso gratuito.

Conclusão

Como dá para perceber, existem inúmeras formas de  ganhar dinheiro a partir de agora. O que talvez você precise aprender é treinar a sua visão (ou nesse caso, percepção) em relação às coisas e, para orientá-lo nisso, eu já escrevi sobre os 3 tipos de livros que você deve ler. Infelizmente eu só tenho o poder de transmitir o meu conhecimento a você, os seus resultados, por sua vez, dependem única e exclusivamente das suas atitudes.
Faça, que acontece!

Confira também:

As dicas mais acessadas