5 dicas para ser mais criativo

Apesar de não trabalhar com pedras, as pessoas que trabalham com a geração de ideias também precisam se esforçar muito para produzirem bons resultados e muitas vezes lhes falta a tal “inspiração”. Pensando nisso, venho apresentar 5 dicas para que você possa desenvolver cada vez mais o potencial do seu intelecto, pois embora não pareça para muitos, a inspiração é sim, fruto de muita transpiração.

Faça combinações

Sem entrar no mérito religioso da questão, embora muitos associem a palavra “criação” à ideia de que algo veio do zero e do nada passou a existir, é fundamental entender que até mesmo as grandes forças da natureza precisam de uma matéria-prima para fazer com que determinado fenômeno aconteça ou exista. No que diz respeito ao trabalho (ou processo) criativo, é imperativo que você tenha algo para começar e isso não se dá necessariamente através da posse de algum objeto, mas sim, de referências e experiências que teve ou se expôs no decorrer do seu existir, tanto na vida prática, como na observação e interpretação do que acontece ao seu redor através dos vários elementos  que a vida envia diariamente.

Descanse

Com a visão e interpretação de um bom observador que você é, nos momentos mais incomuns, as boas ideias vão surgir, pois mesmo sem você saber, o seu subconsciente estava se empenhando em processar e juntar as diversas combinações que você fez, para que num determinada situação mais oportuna, você consiga traduzir em ações fora do comum a soma de tudo aquilo que foi processado pelo seu cérebro.

Trabalhe com prazos

São eles que nos forçam a agir em prol de uma causa. Experimente pedir algo a alguém com um prazo muito longo: na certa, a pessoa vai ficar no comodismo e só vai começar a agir às vésperas do período estipulado, pois na certa, ela já está se empenhando em algo, cujo tempo para execução é mais interessante (ou ameaçador) para ela. São os prazos que fazem com que você não se distraia com coisas sem importância e passe a se concentrar naquilo que de fato uma dose maior de energia à sua vida e é através deles que os resultados vão começar a, de fato, aparecer.

Tenha ídolos

Conheça a história das pessoas que você admira: O que fazem? Como fazem? Como pensam? Onde erraram? São elas que têm o poder de alimentar a força motriz criativa do seu eu. Você precisa acreditar que é possível fazer a diferença, da mesma forma como eles conseguiram! Pergunte-se o que eles fariam no seu lugar, confronte as suas ideias com as possíveis respostas deles.

Prepare-se para as brigas

Ser criativo também tem os seus reveses e muitas vezes a novidade pode assustar a sociedade, que de modo geral, é regida por uma série de regras, normas e valores que existem para garantir o padrão “ideal” ou “certo” de se viver.  Se as suas “boas ideias” forem externadas com veemência e frequência contra aqueles que estão conduzindo o “sistema” em que vive, você corre o sério risco de ser criticado, confrontado, sabotado, castigado, demitido ou qualquer sinônimo que o valha, afinal as pessoas preferem viver dentro do padrão que é mais cômodo para elas e definitivamente, aturar um “chato” como você não é uma das melhores situações. É como dizem: a luz do holofote é boa, mas também pode queimá-lo.

Conclusão

Vale lembrar que o desafio de inovar é uma variável constante para quem precisa gerar resultados diários diferentes, no entanto, em muitos casos , isso é só uma parte do problema, pois dependendo do contexto, ter uma boa ideia é uma coisa e implementá-la é outra completamente diferente. Mas isso é assunto para outra próxima discussão.
Faça, que acontece!

Confira também:

 

Os 5 Posts Mais Acessados